Neogranel
dicas de saúde
27/03/2009
Isomalt - Adoante da beterraba
Feliz, mesmo sem acar!!!

imagem

Feliz, mesmo sem açúcar!!!

Como acreditavam os astecas, aumenta a concentração de serotinina e endorfina no cérebro, provocando sensação agradável, e a ele atribui-se também efeitos curativos. Mas o que antigamente somente alguns privilegiados podiam consumir, está hoje ao alcance de qualquer pessoa. Essa facilidade pode trazer problemas, pois com alto índice de açúcar, não raro 50-60%, 100 gramas de chocolate, dependendo do tipo, concentra centenas de calorias, explica Anne Katrin Pflasterer, especialista da indústria de adoçantes alemã Palatinit.

As consequências, segue ela, das altas taxas de açúcar e gordura são conhecidas:excesso de peso, diabetes, problemas cardíacos ou circulatórios que resultam em doenças sérias e baixa qualidade e expectativa de vida. “Os dentes também sofrem com o açúcar, o que é prejudicial à saúde e esteticamente desfavorável”, conclui. Pesquisas recentes mostram que esse problema não deve ser subestimado, insere Anne.

 

As estatísticas sobre a diabetes são alarmantes. Segundo a Organização Mundial de Saúde, no ano 2025, mais de 300 milhões de pessoas sofrerão da doença. Ainda assim, o consumo de chocolate aumenta, nota a especialista. O crescimento anual de 2% é compartilhado pelas grandes companhias do ramo, porém alguns fabricantes acreditam que o prazer de saborear o chocolate não está necessariamente ligado ao açúcar. Atualmente, informa a executiva, até mesmo as grandes marcas operam linhas de produtos com redução de sacarose. Elas também dão prazer e não exibem o doce acentuado associado antigamente ao “verdadeiro chocolate”.

 

Apesar de o consumidor atentar cada vez mais para uma escolha saudável, o sabor vem sempre em primeiro plano, observa Anne. No caso dos produtos com redução de açúcar prevalece o mesmo prinizer que o chocolate faz feliz não é somente uma sacada subjetiva de um prazer tolo. Muitos estudos sérios comprovam essa afirmação. O que não é gostoso permanece na prateleira. “Por isso, os fabricantes de chocolates e balas que buscam um produto com redução de açúcar, excelente sabor e repleto de aroma de cacau, utilizam com frequência um novo poliol, conhecido comercialmente como Isomalt LM”, assinala a especialista.

 

A nova forma desse adoçante desenvolvido pela Palatinit possui uma mínima quantidade de água que é adequada para uso na produção de chocolate, ela esclarece. O Isomalt, prossegue, é o único adoçante extraído da sacarina de beterraba. Sua capacidade adoçante tem sabor natural e suave contrapondo-se a tipos artificiais e fortes. “O aroma do cacau é acentuado porque o Isomalt não tem sabor adicional e não provoca o chamado efeito de esfriamento”, completa a técnica. Ela detalha que o produto da Palatinit situa-se abaixo do padrão mínimo para poliol exigido pelo Mercado Comum Europeu de 2,4 Kcal/g, por ter valor calórico 2 e, com isso, incorporar a metade de açúcar. Ele contém um índice glicêmico extremamente baixo e se aproxima do valor basal, apresentando índice inferior a de outros polióis e tipos de açúcar, nota ela.

 

Assim, conclui, é indicado tanto para diabéticos como para dietas de baixo valor calórico. O baixo índice glicêmico faz com que o Isomalt tenha efeito lento e pequeno na concentração de açúcar do sangue. O açúcar normal tem valor 68 e a maltodextrina sobe até 86, aproximando-se do valor de referência de glicose de 100. As pessoas tendem a consumir cada vez mais chocolates isentos de açúcar e adoçantes como Isomalt reforçam a consciência de que não é necessário renunciar ao prazer, argumenta Anne. Os produtos à base da versão LM de Isomalt exibem boa aparência e excelente dissolução bucal, propiciando a sensação típica de prazer que se tem ao degustar um doce. “Eles possuem sobretudo um adocicado saboroso, natural e suave, que acentua o sabor do cacau e sem o indesejado efeito de esfriamento, bem mais alto nos outros polióis”, alfineta a expert. Esse efeito, emenda ela, ocorre através de uma solução de calor negativo percebido na boca como refrescante e que, no caso do chocolate, é desagradável. Através de combinações com adoçantes intensivos (multi sweetener concept), pode-se atingir todo tipo de perfil doce desejado com a aplicação do Isomalt, ensina Anne. Para a produção de chocolate, a receita original não precisa ser alterada, pois ele substitui o açúcar na proporção 1:1. A estrutura de produção também permanece, uma vez que Isomalt pode ser utilizado em estruturas padrões sem grandes ajustes. Devido a baixa concentração de cristal de açúcar (inferior a 1%), nem mesmo a temperatura de conchagem se altera. Pode-se trabalhar o chocolate escuro com uma temperatura de até 80°C e o tipo ao leite, com até 70°C. “O uso de Isomalt LM quase não limita o fabricante de chocolate, pois sua aplicação é descomplicada seja qual for o processo de fabricação: chocolate ao leite, escuro ou branco, em todas as suas variações; cobertura de chocolate, recheios com choco-caramelo ou cremes de avelã e até mesmo cremes para bolos de chocolate ou avelã”, detalha a especialista.

 

Isomalt LM adoçante da Palatinit extraído da sacarina da beterraba.

 

Nossos produtos que contém Isomalt: Caramelos Solano




voltar
rodape fale conosco Rodrigues Design